Núcleo Juvenil de Pesquisa Comunitária


O Núcleo Juvenil de Pesquisa Comunitária (NJPC) é um projeto experimental de integração entre universidade e comunidade, que visa transferir tecnologia de metodologia científica de forma articulada com a troca de saberes entre jovens moradoras, estudantes e atuantes nos coletivos da região de Campo Limpo, Capão Redondo, Jardim São Luís e Jardim Ângela. Como objetivo geral, o NJPC visa contribuir para a implementação de um projeto piloto de pesquisa comunitária e desenvolvimento local, promovendo o território como espaço de integração e protagonismo juvenil a partir de uma perspectiva de gênero.

Historicamente, as mulheres que vivem nas comunidades já mencionadas tem se mostrado resistentes à todas as precariedades, trilhando lutas diárias por meio das linguagens artísticas, movimentos sociais, religião, militância coletiva e individual, e ainda no contexto doméstico. São esses sofrimentos e batalhas invisibilizados que justificam a pesquisa. E, por isso, para atuar neste projeto foram selecionadas cinco jovens mulheres que residem nas mesmas regiões e que por serem periféricas, negras e jovens, conseguem apresentar seus próprios pontos de vista das situações em que estão inseridas. A partir da trajetória pessoal e da inserção em seu local de moradia, cada uma delas identificou, ao longo do processo, um recorte de pesquisa a ser trabalhada neste projeto.

Em atividade desde janeiro  de 2017, NJPC atualmente trabalha com a missão de apresentar as questões das mulheres periféricas como: territorialidade, reconhecimento e emancipação no enfrentamento às violências produzida, tais como: violência doméstica, precariedade do trabalho, falta de creches, moradia e saúde, muito presente nas periferias da capital de São Paulo, especialmente nos territórios atendidos pelo projeto.

Este projeto é financiado pela DKA Áustria, e realizado por meio de uma parceria do CDHEP – Centro de Direitos Humanos e Educação Popular do Campo Limpo com Núcleo de Pesquisa das universidades FGV/ EAESP, USP e PUC-SP, que são responsáveis pela supervisão metodológica e acompanhamento das pesquisas, assim como pelos conteúdos e oficinas.

Conheça nossas Jovens Pesquisadoras

Eloine Jesus da Paixão
Atua na pesquisa que pretende identificar mulheres guerreiras, suas memórias e o planejamento social de 1970 até os dias atuais.
Isolda Pereira dos Santos
Pesquisa sobre a representatividade das mulheres nos espaços de poder e seus desafios quanto à participação política no território.
Paula Nadja Chaves Gomes
Tem como missão pesquisar mulheres deficientes físicas no território do Jardim Ângela e a violência sofrida por elas.
Renata Miranda Lima
Atua na pesquisa com foco no direito à mobilidade urbana das mulheres negras no território do Jardim São Luís e suas relações com espaço da periferia.
Thais Fernanda Gonçalves de Lima
Trabalha na pesquisa sobre violência doméstica e na reprodução dos casos nas gerações seguintes.